Startups dublam a crise e reaquecem o mercado de locação de máquinas e equipamentos no Brasil

Startups dublam a crise e reaquecem o mercado de locação de máquinas e equipamentos no Brasil

Apesar de nascerem no início da década no exterior, junto do boom da digitalização da sociedade, o fenômeno das startups no Brasil é relativamente recente, tendo iniciado há cerca de quatro anos. Os dois últimos têm sido considerados os mais prósperos para esse setor que envolve soluções tecnológicas financiadas por capital de risco e, no país, mais que dobraram o número dessas empresas iniciantes.

Por crescerem em um ciclo paralelo de investimento do que as companhias tradicionais estão habituadas, a startups vivem uma “bolha” fora da crise econômica que se arrastou ao longo dessa década. Para se ter uma ideia, em 2017 existiam um pouco mais de 5 mil startups brasileiras e, de acordo com a associação brasileira do setor, atualmente são mais de 12 mil, sendo que 2.800 delas foram fundadas só em 2019! Promissor, certo?

Divididas em diferentes setores do mercado, agora elas têm se consolidado na Construção Civil e se apresentado como uma alternativa para movimentar esse setor que foi profundamente impactado pela crise econômica. Além de focarem em soluções tecnológicas que visam digitalizar canteiros de obras e beneficiar as operações de construtoras e incorporadoras, as startups vêm oferecendo diferentes serviços, como a locação de equipamentos e máquinas pesadas.

Segundo uma pesquisa de 2017 da Associação Brasileira de Tecnologia para Equipamentos e Manutenção (Sobratema), cerca de 30% do total de máquinas vendidas no país são utilizadas para o mercado de locação. A tendência é tão grande que esse setor chega a movimentar 9 bilhões de reais por ano só no Brasil, algo que tem se consolidado como a principal alternativa para driblar a crise e manter-se dentro do orçamento das obras.

Além de fazer a ponte entre empresas que possuem equipamentos e as que precisam alugar, as startups também criam plataformas para a contratação temporária de profissionais que saibam operar as máquinas. Assim, é possível fazer um planejamento otimizado com um cronograma dividido em etapas, fazendo a locação de equipamentos e operadores somente quando for necessário. Isso beneficia mais do que o aspecto financeiro do projeto, também impacta na produtividade e qualidade das entregas.

Está procurando por startups especializadas na locação de máquinas e equipamentos? Participe da Smart.Con e conheça empresas que fornecem serviços como esse! Mais do que uma feira convencional, o evento irá oportunizar novos negócios para impulsionar o setor de Construção Civil no Brasil. Acesse o nosso site e saiba mais!